Edifício residencial que será o mais alto das Américas já concluiu R$ 2 bi em vendas

  Arranha-céu de 96 andares em Nova York será entregue em 2015 e tem unidades que chegam a R$ 190 milhões alturas Como mais um destaque do mercado imobiliário de alto luxo e espantando qualquer sinal de crise, foi lançado em Nova York o arranha-céu que será o maior prédio residencial da cidade e do continente americano. Desde março, o edifício 432 Park Avenue já fechou US$ 1 bilhão em unidades vendidas, o que corresponde a mais de R$ 2 bilhões. As informações da assessoria do empreendimento no Brasil dão conta ainda de que a expectativa é que esse valor chegue a US$ 3 bilhões (cerca de R$ 6 bilhões), soma que compreende o total de todos os imóveis. A construção deve custar, ao final, US$ 1,25 bilhão (R$ 2,5 bilhões).   Com aproximadamente 425 metros de altura, 96 andares e 115 apartamentos, o gigante fica atrás apenas do One World Trade Center que, com 541 metros (incluindo a antena no topo que mede 124 metros) é o maior da cidade, porém tem caráter comercial. Assim, como uma reunião de habitações particulares, o 432 Park Avenue é o mais alto das Américas, considerando esta característica residencial. Os apartamentos podem ser comprados por valores que variam entre US$ 7 milhões (R$ 14 milhões), para o mais “barato”, até US$ 95 milhões (R$ 190 milhões), preço de venda da cobertura no andar mais elevado do prédio, de acordo com as incorporadoras. Esta penthouse conta com itens de puro requinte como, por exemplo, uma biblioteca, seis suítes e sete banheiros. Valorizando estruturas em concreto, aço e vidro, a obra está prevista para ser entregue em 2015, mas isso não impediu que alguns magnatas já garantissem a sua morada no edifício. Ainda conforme a assessoria, os compradores são, na maioria, norte-americanos, mas a lista também contempla pessoas originárias da América do Sul, Oriente Médio, Reino Unido, China e Rússia.
 (CIM Group & Macklowe Properties/Divulgação )

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fale com a gente