Em ritmo acelerado

Em ritmo acelerado

  Denise Menezes – Estado de Minas Empreendedores atribuem aumento na comercialização de imóveis às intervenções viárias em curso na região, sobretudo as obras da primeira alça de acesso a Nova Lima
Eduardo Almeida/RA Studio
Vice-presidente da Atrium, Maria Aparecida diz que cliente resistia em adquirir imóvel no bairro por causa do difícil acesso
Desde março, empreendimentos residenciais e comerciais lançados no Bairro Vila da Serra registram aceleração no ritmo de vendas. O crescimento é atribuído às melhorias viárias na região, sobretudo ao início das obras da primeira alça do Complexo Viário Sul. “O mercado imobiliário se aqueceu a partir de março, mas o acesso a Nova Lima, com a construção da alça, foi fundamental para alavancagem de vendas do empreendimento que temos na região”, diz Maria Aparecida Miranda, vice-presidente da Construtora Atrium. A empresa está comercializando no Vila da Serra a primeira etapa do Edifício Atlanta, constituído por uma torre com nove pavimentos e 12 salas por andar. “De março para cá, registramos crescimento de 20% nas vendas e já estamos com 90% das unidades desta etapa comercializadas”, garante. Segundo ela, o cliente mostrava resistência em adquirir um imóvel no bairro, em função dos problemas de acesso e tráfego. “Por isso, os empreendedores se reuniram e juntos estamos buscando soluções para que a ocupação do Vila da Serra se dê de maneira sustentada”, frisa. Na Masb Desenvolvimento Imobiliário, o crescimento da velocidade de vendas também foi sentido. Segundo o gerente nacional de Vendas, Mário Marcus de Vasconcellos Lopes, isso foi registrado nos cinco empreendimentos no bairro, e o recente lançamento, Edifício Metrópole, teve 50% das 344 unidades vendidas em menos de 30 dias. O gerente também avalia que isso é consequência direta do início da construção do Complexo Viário Sul. “Agora, as obras para a melhoria do acesso à região de Nova Lima não são apenas argumento de vendedor. A primeira alça já está em construção e o cliente vê a perspectiva de que os problemas de trânsito na região serão solucionados. Tanto que temos registrado grande volume de vendas para investidores, que antes temiam não ter um retorno satisfatório. Agora, já está claro que investir no bairro é um ótimo negócio. Enquanto o metro quadrado construído no Belvedere está em torno de R$ 7 mil, no Vila da Serra a média é de R$ 4,5 mil com ótimo potencial de valorização, já que o bairro estará totalmente consolidado num tempo máximo de seis anos.” PERFORMANCE José Francisco Cançado, vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Minas Gerais (Sinduscon-MG) e diretor da Conartes Engenharia, aponta a situação do acesso e trânsito de veículos na região como um dos fatores que mais influenciam na performance de vendas dos empreendimentos. A empresa tem dois conjuntos residenciais em comercialização no bairro: o San Pietro, lançado há três anos, e o Green Garden, que teve sua comercialização iniciada no ano passado. “O Green Garden não teve a venda prejudicada pelos problemas de trânsito, em função de sua localização, próxima ao acesso pelo Bairro Belvedere. Portanto, tivemos boa velocidade de vendas e já comercializamos 70 das 92 unidades do empreendimento. Já as vendas do San Pietro foram afetadas e estão se recuperando agora, mas ainda assim temos disponíveis 14 de um total de 44 unidades”, conta. Cançado reconhece que a obra é um passo importante para melhorar o acesso à região, mas alerta que a solução definitiva só virá com a implantação da segunda alça e a execução de outras obras previstas. Para melhor dimensionar o atual e futuro tráfego de veículos entre os municípios de Belo Horizonte e Nova Lima, identificar e planejar medidas que possam ordenar o trânsito na região, a Associação dos Empreendedores dos Bairros Vila da Serra e Vale do Sereno contratou a empresa Tectran, especializada nas áreas de planejamento urbano, trânsito e sistema viário. De acordo com o presidente da entidade, Luiz Hélio Lodi, em 45 dias a empresa deve apresentar um diagnóstico preliminar. “Solicitamos um dimensionamento do tráfego atual e o previsto para daqui a 10 anos, quando a ocupação do Vila da Serra e de outras bairros da região esteja consolidada. A ideia é não só apresentar medidas que possam resolver os problemas atuais, mas também evitar gargalos futuros.” A intenção é levar as medidas propostas a autoridades públicas. “Estamos fazendo um trabalho de planejamento urbano, mas estamos conscientes de que planejar a ocupação da região será fundamental para que os negócios imobiliários sejam bem-sucedidos”, afirma Lodi. Myspace Glowing text

2 comentários sobre “Em ritmo acelerado

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fale com a gente