O começo de tudo

A escolha correta de um nome pode ser a chave do sucesso para a empresa. O mercado aponta que siglas e opções curtas são as melhores

Por Marcelo Casagrande  
Na última década, principalmente, uma enxurrada de fusões, novas empresas, mudanças de identidades trouxeram para o mercado uma tendência que hoje se confirma como realidade: nomes curtos ou siglas para representar a marca de empresas e instituições. Vivo, Oi, Claro, Sabesp, Amex são só alguns poucos exemplos de uma imensa lista de identidades que estão presentes no dia a dia. As pessoas recebem um excesso de informação e se deparam com milhares de nomes diariamente, logo, o cérebro precisa processá-los a todo instante para fazer relações. E isso não é diferente com a sua empresa. Para se destacar no mercado, é importante ser lembrado. “As empresas preferem comunicar imagens curtas, fortes e que se adaptem a todos os suportes publicitários e níveis de público, conseguindo atingir uma parcela mais significativa da sociedade com um gesto mais comum: apenas a marca ou o próprio nome”, explica o diretor de planejamento da New Growing branding & design, Hélio Moreira, que acredita ainda que o mercado esteja cada vez mais competitivo e a identificação por meio de nome com fácil pronuncia e memorização pode ser uma das armas nesta luta. O processo de identidade de uma empresa, normalmente, tem início com o nome. Na maioria das vezes é ele que registra a primeira impressão e nesse momento pode-se não ter uma segunda chance. “O nome conta uma historia, carrega valores, personalidade e diferenciais da marca. É extremamente importante que ele esteja alinhado de forma verdadeira com sua essência”, comenta o diretor de Planejamento da agência Super Produções e Ideias, Gustavo Aguiar, que completa: “Um tema recorrente é a humanização de conceitos e planos de comunicação e estratégias de negócio. O nome tem um importante papel no pacote de relacionamento da empresa ou produto com o mundo”. “O nome conta uma história, carrega valores, personalidade e diferenciais da marca. É extremamente importante que ele esteja alinhado de forma verdadeira com sua essência” Gustavo Aguiar, da Super Produções e Ideias A tendência de redução da marca às vezes se dá pelos próprios consumidores, que, em muitos casos, fixam as iniciais na mente e com o passar dos anos, se esqueça do nome por extenso. Um exemplo foi o que aconteceu com a Rede Bandeirantes de Televisão, que, hoje, é conhecida somente como Band. O nome caiu nas graças de telespectadores e do mercado como um todo. Mas, se você está em busca de um nome para sua nova empresa ou pretende alterar a identidade de uma já existente, Moreira faz algumas considerações: “Todo nome deve reunir, organizar e priorizar as diretrizes estratégicas. Toda marca precisa conter um ‘mapa da marca’. Isto é, alinhar os objetivos estratégicos, posicionamento, público-alvo, atributos emocionais, atributos funcionais, personalidade, universo, identidade, slogan e todos os pontos de contato dessa marca. Essa metodologia é conhecida como branding”. O especialista orienta que um profissional seja contratado para a aplicação da metodologia, para que o objetivo final seja atingido da melhor maneira possível. Aprendendo com os erros O foco de qualquer empresário é construir uma marca sólida e reconhecida. Mas, o que poderia representar obstáculos neste caminho? E a resposta é simples e objetiva: a falta de estratégica correta e planejamento assertivo. “O principal erro é a falta de planejamento. É extensa a bibliografia de produtos de sucesso em determinados países que simplesmente não funcionaram quando lançados em outros, simplesmente porque o nome “codificava” algo ruim naquela cultura”, comenta Aguiar. A opinião de Moreira é parecida ao atribuir a falta de estratégia como um grande fator de erro. “Muitos empreendedores abrem seus negócios apenas pensando em um ponto comercial, em bens físicos e se esquecem de pensar no seu bem mais importante: sua marca”, diz Moreira. “Muitos empreendedores abrem seus negócios apenas pensando em um ponto comercial, em bens físicos e se esquecem de pensar no seu bem mais importante: sua marca” Hélio Moreira, da New Growing branding & design O momento da mudança Quando se fala em grandes marcas, automaticamente associa-se a grandes investimentos. Nada é feito por acaso. Tudo tem um por quê. Quando uma empresa pretende fazer alteração de um nome, pode ter certeza que vai existir um grande preparo para a comunicação das mudanças para orientar o consumidor e mostrar qual o caminho que está sendo seguido. Portanto, se você tiver a intenção de se reposicionar no mercado, tenha bem claro como construir esse novo nome e como será a sua divulgação para o público.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fale com a gente