Projeto dá fim à exigência de fiador em locação de imóveis

fiador Projeto dá fim à exigência de fiador em locação de imóveis. Matéria mantém a possibilidade de exigência de caução ou de seguro-fiança Alugar um imóvel contando com a garantia de parentes e amigos pode estar com os dias contados. Isso porque a exigência de fiador em contratos de locação de imóveis urbanos poderá ser extinta de acordo com o projeto de lei (PLS 29/2003), do senador Paulo Paim (PT-RS), que aguarda votação terminativa. Porém, o parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) é pela rejeição da matéria.
O projeto modifica a Lei 8.245/91 (Lei do Inquilinato) de modo a a extinguir a fiança como modalidade de garantia exigível pelo locador. Ao justificar a proposta, Paim argumenta que a exigência de um fiador proprietário causa “sérias dificuldades” ao pretendente à locação de imóvel, além de despertar “receio e constrangimento” nos fiadores. O projeto mantém a possibilidade de exigência de caução ou de seguro-fiança. Arquivado em 2011, o projeto foi desarquivado a requerimento de seu autor e voltou à CCJ. O relator, senador Gim Argello (PTB-DF), chamou a atenção para a controvérsia em torno da extinção da fiança – proposta que, conforme ressaltou, tem sido continuamente discutida no Congresso – e concordou com Paim quanto às “agruras” que os fiadores enfrentam quando precisam honrar dívidas não pagas pelos afiançados, mas argumentou que a vigência de tal norma poderia “levar o mercado imobiliário ao colapso”. Ele ainda lembrou que a fiança constitui a modalidade de mais baixo custo de garantia de locação. “O mercado imobiliário precisa fluir regularmente, em subordinação à lei econômica da oferta e da procura, e a certeza do adimplemento da obrigação é o alicerce sobre o qual se fundamenta os contratos dessa natureza e motiva os novos empreendimentos imobiliários”, diz o relatório. (Com Agência Senado)   Fonte: Estado de Minas
 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fale com a gente