Um guia para mudar de casa

Mudanças: uma mistura de tristeza, alegria, impaciência e muito trabalho! Não deve haver ninguém que goste do transtorno que uma mudança de casa implica, mas certamente que cada um de nós passará pela experiência pelo menos uma vez na vida. Para não contribuir com ainda mais stress para o grande dia da mudança, preparamos um guia com várias dicas úteis para facilitar a transição entre lares!

Comece com antecedência. Convém começar a empacotar pelo menos um mês antes da mudança, isto porque provavelmente só o fará no final do dia, depois do trabalho ou aos fins-de-semana… e o que à primeira vista parece pouco, depressa de transforma em dezenas e dezenas de caixas. Para além disso, se começar cedo, pode aproveitar esse tempo para fazer uma escolha das coisas que já não quer ou já não utiliza. Aproveite para vender, doar ou reciclar o que não vai levar consigo. Se nos dias que antecederem a mudança já tiver tudo, ou pelo menos a maior parte das coisas empacotadas, terá mais tempo para fazer outras coisas – dedicar-se à nova casa!

Reúna todo o material necessário. Vai precisar de muitas caixas e caixotes, por isso, junte o máximo possível, pedindo a amigos, familiares, em lojas ou grandes superfícies. Evite caixas que foram utilizadas para transportar alimentos, uma vez que podem conter insectos, vestígios de comida ou aromas indesejados. As caixas provenientes de garrafeiras – que incluem quase sempre divisórias – são excelentes para embalar copos e canecas. Em último recurso pode adquirir caixas específicas para embalar nas lojas de bricolage ou no IKEA, por exemplo, ou pode sempre investir em caixas de plástico que, sendo muito práticas, ficarão para uso futuro. Não se esqueça de fita-cola grossa para fechar as caixas, marcadores para identificá-las e jornais velhos e/ou plástico-bolha para embrulhar os objectos mais frágeis.

As reservas. Coloque de lado tudo aquilo que vai precisar até ao último momento – pode ser roupa, toalhas, lençóis, os brinquedos preferidos dos seus filhos, o livro que vai precisar para terminar um trabalho, os produtos de limpeza e a comida dos seus animais de estimação, por exemplo. Normalmente, as plantas também ficam para a última viagem e o ideal é mesmo transportá-las numa viatura particular. Em termos da sua alimentação, procure gastar aquilo que tem em casa, aproveitando para esvaziar despensa, frigorífico e congelador.

Tarefa pessoal vs serviço profissional. Decida se vai juntar um grupo de amigos e fazer as mudanças com recurso aos veículos de cada um, se vai ter de alugar uma carrinha ou se vai contratar uma empresa de mudanças. Cada cenário tem as suas vantagens e desvantagens, por isso, veja qual a melhor opção para o seu caso.

Uma de cada vez. Comece numa divisão e não saia da mesma até ter tudo empacotado e os móveis desmontados ou prontos para o serem. Isto quer dizer que deve começar, naturalmente, pelas divisões que são menos utilizadas ou cujas coisas não vão necessitar durante as próximas semanas. Empacotar duas ou três caixas todos os dias é um bom objectivo e fácil de cumprir. A cozinha, o WC e os quartos das crianças devem ser as últimas divisões a serem “despidas” para evitar grandes transtornos. Quando chegar essa altura, aproveite os tupperwares da cozinha para empacotar talheres, utensílios e quinquilharias diversas ou até os produtos cosméticos da casa de banho.

Aproveitar, aproveitar, aproveitar! Não deite fora os seus velhos cobertores, edredões, lençóis e toalhas de banho – aproveite-os para embrulhar e/ou aconchegar objectos frágeis dentro das caixas, para envolver espelhos ou quadros; e para proteger móveis ou apenas as esquinas destes, através da sua fixação com fita-cola ou atando com corda resistente. As meias também são excelentes para preencher espaços dentro de caixas, principalmente quando contêm quebráveis.

Peso contrabalançado. Não exagere no empacotamento das caixas, querendo enchê-las a toda a força! Ou seja, caixas muito cheias podem facilmente arrebentar e danificar os seus bens, mas tenha igual cuidado com caixas pouco cheias – podem ser esmagadas durante o transporte, provocando estragos na mesma! O ideal é não exceder os 20 kg por caixa, porque serão muito mais fáceis de transportar. Antes de começar a empacotar, certifique-se que o fundo de cada caixa é suficientemente forte – se não, reforce com cartão. Encha as caixas com os objectos mais pesados no fundo, terminado com os mais leves em cima. Lembre-se, quanto mais pesado forem os objectos (caso dos livros, por exemplo), mais pequena deve ser a caixa. As caixas gigantes devem ser reservadas para vestuário, têxteis-lar ou para objectos e brinquedos com formatos invulgares.

Preto no branco. Não se esqueça de marcar cada caixa com duas informações úteis: a divisão a que se destina e qual o seu conteúdo. Se os objectos de uma caixa forem frágeis, acrescente essa indicação na caixa com recurso a etiquetas próprias, utilize um marcador de cor diferente ou cole um papel numa cor forte com a palavra “FRÁGIL” escrita no mesmo. Para além disso, faça questão de escrever essa informação em, pelo menos, dois lados da caixa – assim será mais fácil identificar e encaminhá-la à primeira! Todo este processo pode parecer entediante, mas como vai fazer tudo com tempo e calma, não lhe vai custar nada e, no final, o trabalho de organização e de desempacotamento na nova casa estará muito facilitado!

Electrodomésticos. Recorra aos manuais de instruções dos electrodomésticos de grande porte para verificar se existem cuidados específicos para o seu transporte. E não se esqueça de desligar, descongelar, limpar e secar frigoríficos, fogões, arcas congeladoras, máquinas de lavar roupa e loiça antes de serem movimentadas. Relativamente às caixas de todos os electrodomésticos e computadores que tem comprado ao longo dos anos e que guarda religiosamente na garagem – pode finalmente reutilizá-las para empacotar o seu conteúdo original!

Gavetas: esvaziar ou não? Algumas pessoas preferem manter as gavetas e os seus respectivos conteúdos intactos aquando de uma mudança. Ora esta solução nem sempre é a mais adequada uma vez que, para além de tornar o móvel mais pesado e, consequentemente dificultar o seu transporte, corre sempre o risco de ver a sua roupa interior ou colecção de livros de banda desenhada espalhada pela rua inteira e de danificar o mobiliário pelo caminho!

Roupa & Cabides. O vestuário que tem pendurado em cabides pode ser facilmente transportado tal como está, principalmente se for num automóvel particular. Na chegada ao destino, é só voltar a pendurar! Para a restante roupa utilize malas de viagem ou então recorra a sacos de lixo grandes (não se esqueça de colar uma etiqueta para que este não seja erradamente deixado para o camião do lixo!); ou então coloque um lençol velho no chão, faça um monte de roupa no meio e depois junte as quatro pontas do lençol no centro e ate-as apertadamente.  

No dia antes. Para que o dia das mudanças corra o mais eficaz e rapidamente possível, concentre as caixas numa só divisão da casa e desmonte todos os móveis que conseguir. Guarde num saco plástico transparente os respectivos parafusos e peças soltas que pode afixar nos próprios móveis com recurso a fita-cola ou então destine uma caixa (que pode ser a de ferramentas, por exemplo) para guardar tudo isso. Cubra colchões com resguardos ou cobertores velhos e dobre todos os cortinados para um transporte mais cómodo. Enrole tapetes e carpetes, atando-os com uma corda ou, se pretender uma protecção extra, envolva-as em sacos de lixo XL.

Cuidados redobrados. Em matéria de mudanças, todo o cuidado é pouco. Utilize luvas no dia das mudanças (recomenda-se as de jardinagem ou os modelos com material antiderrapante) e pegue nas caixas utilizando sempre os joelhos e nunca as costas. Se algo for muito pesado e/ou muito difícil de manobrar, deixe para outra pessoa – a última coisa que precisa em dia de mudanças é que alguém se magoe! Quando carregar a carrinha, comece pelos móveis e depois vá encaixando as caixas nos espaços vazios.

A despedida. Quando a carrinha estiver cheia e pronta para fazer a sua última viagem até a nova casa, faça uma ronda por todas as divisões da casa que vai deixar – não se esqueça de espreitar a garagem, o sótão, o quintal e os armários – para se certificar que não fica nada atrás. É ainda de bom-tom deixar a casa limpa, para quem vier a seguir! Boa sorte e boas mudanças!

Parte inferior do formulário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fale com a gente